Projeto de assentamento Che Guevara: um estudo pedológico visando a classificação da capacidade de uso da terra

Main Article Content

Natália Aragão de Figueredo
João Luiz Lani
José Ambrósio Ferreira Neto
Marco Antônio Gomes
Roseni Aparecida de Moura

Resumo

Os Projetos de Assentamentos instituídos pelo Governo Federal foram criados como forma de solucionar injustiças sociais e conflitos ligados à posse de terras em todo o país. Porém, a criação desses projetos acarreta mudanças por envolver alterações nas formas de uso da terra,o que pode provocar alterações ambientais. O presente trabalho buscou identificar os componentes ambientais (solos, geologia e geomorfologia) e o uso da terra para assim classificar a capacidade de uso da terra no Projeto de Assentamento (PA) Ernesto Che Guevara de modo a subsidiar a tomada de decisão para um melhor planejamento dos recursos naturais. A fim de se alcançar os objetivos esperados foram realizadas três etapas metodológicas durante o estudo: trabalho de campo, análises laboratoriais e digitalização de informações por geoprocessamento.  Desta forma, 84,8% das terras são passíveis de utilização com culturas anuais, perenes, pastagens e/ou reflorestamento e vida silvestre (Classe III); 11,38% das terras são próprias para proteção da fauna e flora silvestre e 3,83% pertencem a Classe VII que são terras adaptadas somente para pastagens ou reflorestamento com problemas complexos de conservação. De forma geral, as terras do PA requerem medidas intensivas para utilização, com problemas relativos ao solo e susceptibilidade à erosão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
de Figueredo, N. A., Lani, J. L., Neto, J. A. F., Gomes, M. A., & de Moura, R. A. (2015). Projeto de assentamento Che Guevara: um estudo pedológico visando a classificação da capacidade de uso da terra. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 18(2), 79-93. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2015.v18i2.329
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Natália Aragão de Figueredo, Universidade Federal de Viçosa

Departamento de Economia Rural, Universidade Federal de Viçosa

João Luiz Lani, Universidade Federal de Viçosa

Departamento de Economia Rural, Universidade Federal de Viçosa

José Ambrósio Ferreira Neto, Universidade Federal de Viçosa

Departamento de Economia Rural, Universidade Federal de Viçosa

Marco Antônio Gomes, Universidade Estadual de Minas Gerais

Universidade Estadual de Minas Gerais

Roseni Aparecida de Moura, Universidade Federal de Viçosa

Departamento de Economia Rural, Universidade Federal de Viçosa

Referências

AB’SABER, A.N. Os Domínios de Natureza no brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003, 142 p.

BERTONI, J.;LOMBARDI NETO, F. Conservação do solo. São Paulo: Ícone, 1993, 355p. CFSEMG - Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais. Recomendações para uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais: 5a aproximação. Viçosa 1999. 360p.

DEFELIPPO, B. V; RIBEIRO, A. C. Análise química do solo. 2. ed. Viçosa, MG: UFV, 1997. 26 p. (Boletim de extensão, 29).

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos.Levantamento de reconhecimento de solos do Estado do Espírito Santo. Rio de Janeiro: 1978,461p.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Centro Nacional de Pesquisa de Solos. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos. Brasília: Embrapa Produção de Informação; Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2006, 306p.

GUERRA, A. J. T. Processos Erosivos nas Encostas. In: CUNHA, S.B.; GUERRA, A. J. T. (orgs.). Geomorfologia: uma Atualização de Bases e Conceitos.4.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001. p. 149-209.

GUERRA, A.J.T. Encostas e a questão ambiental. In: CUNHA, S.B. e GUERRA, A.J.T. (orgs.). A questão ambiental: diferentes abordagens.4.ed. Rio de Janeiro, Editora Bertrand Brasil, 2008. p. 191-218.

INCRA. Projeto de Assentamento dirigido CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), 1986, No 289, de 25 de outubro de 2001. Diário Oficial da União, Brasília.

LANI, J.L., ARAUJO. E.A, AMARAL, E.F., BARDALES, N.G.; GOMES, M.A., FIGUEREDO, N. A.Percepção ambiental e o uso dos recursos naturais em moldes sustentáveis. In: Indicadores de sustentabilidade em sistemas de produção agrícola.Belo Horizonte : EPAMIG, 2010, p. 125-142.

LEPSCH, I. F.; JR BELLINAZZI, R.; ESPINDOLA, C.R. Manual para levantamento utilitário do meio físico e classificação de terras no sistema de capacidade de uso. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. 4a aprox. Campinas, 1991. 175p.

LOPES, O.M.N.; RODRIGUES, T.E.; OLIVEIRA JÚNIOR, R.C. de. Determinação de perdas de solos, água e nutrientes em Latossolo Amarelo, textura argilosa do Nordeste Paraense. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 1999. 36p. (Embrapa Amazônia Oriental. Boletim de Pesquisa, 19).

MAFRA, N.M.C. Erosão e planificação de uso do solo. In: GUERRA, A.J.T. Erosão e Conservação dos Solos. .Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2007, 340p.

STRECK, E.V.; COGO, N.P. Reconsolidation of the soil surfasse after tillage discontinuity, with and without cultivation, related to erosion and its prediction with Rusle. .Revistabrasiliera de Ciência do Solo, v. 27, p. 141-152, 2003.

RADAMBRASIL - PROJETO RADAMBRASIL.Levantamento de recursos naturais – folha SF. 23/24. Rio de Janeiro, 1983. 780p.

VELOSO, H.P.; GÓES-FILHO, L. Fitogeografia brasileira: classificação fisionômico-ecológica da vegetação Neotropical. boletim Técnico do Projeto RADAMbRASIL. 1982. 86p. (Série Vegetação).

WOOD, B. W.; REILLY, C. C.; NYCZEPIR, A. P. Mouse-earofpecan: II. Influence of nutrient applications. Hortscience, v. 39, n. 1, p. 95 - 100, 2004

WOLSTEIN, A.R.P; LIMA, E.M; AMARAL, E.F.DO; BRAZ, E.M;PINHEIRO, F.L.N. Metodologia para o planejamento, implementação e monitoramento de projetos de assentamentos sustentáveis na Amazônia. Rio Branco: Embrapa-CPAF/AC/Incra/Funtac, 1998, 29p.