Revista Brasileira Multidisciplinar https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara <div id="journalDescription"><p>A<strong> Revista Brasileira Multidisciplinar – ReBraM</strong> é uma das publicações do Núcleo de Produções Científicas da Uniara. É um periódico criado em 1997 (na ocasião denominado “Revista Uniara”) e, que desde então, sofreu grande evolução com o objetivo de aumentar a visibilidade e abrangência nacional e internacional, além de tornar o processo de submissão e publicação mais eficiente.</p><p>Publica artigos inéditos das mais diversas áreas da ciência que apresentem resultados originais de pesquisa, trabalhos de revisão, de divulgação, comunicações breves, resenhas nos idiomas português, inglês e espanhol produzidos por pesquisadores e/ou professores, alunos de pós-graduação, vinculados a instituições de ensino superior e institutos de pesquisa nacionais e internacionais.</p><p>Com periodicidade quadrimestral, publicando cada uma de suas novas edições nos meses de Janeiro, Maio e Setembro, entretanto, o fluxo de recebimento de trabalhos é contínuo.</p><p>Todos os artigos submetidos à revista são submetidos à avaliação de consultores <em>ad hoc </em>com experiência na área do manuscrito.</p><p>Atualmente, este periódico está <strong>indexado nas seguintes bases de dados e buscadores:</strong> ; Base - Bielefeld Academic Search Engine (Approved); Latindex (Approved); Redib (Approved); OpenAire; PKP INDEX; Gale Cengage Learning; (Approved) ; Ebsco Host (Approved); DOAJ (Approved); Portal Periódicos CAPES/MEC (Approved); Sumários (Approved )Google Scholar; Funadesp; Redalyc (em avaliação); Dialnet (em avaliação); ErihPlus (em avaliação). Esses indexadores internacionais têm como objetivo promover a divulgação e visibilidade dos artigos publicados pela revista.</p><div> </div><div><p>Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos </p></div></div><div> <img src="/public/site/images/admuni2k/Marca-ABEC-Simples_10porcento.jpg" alt="" /></div><div> </div><div> </div><div><span>Signatária do San Francisco Declaration on Research Assessment (DORA) </span></div><div><span><br /></span></div><div><img src="/public/site/images/admuni2k/dora200pxcolor.jpg" alt="" /></div> Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM pt-BR Revista Brasileira Multidisciplinar 1415-3580 <ul> <li>O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do artigo na revista;</li> </ul> <p><br />• O(s) autor(es) garante(m) que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);</p> <p><br />• A revista não se responsabiliza pelas opiniões, ideias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);</p> <p><br />• É reservado aos editores o direito de proceder ajustes textuais e de adequação do artigo às normas da publicação.</p> <p> </p> <p>Os conteúdos da <strong>Revista Brasileira Multidisciplinar – ReBraM</strong> estão licenciados sob uma<a href="https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/"> Licença Creative Commons 4.0 by. </a></p> <p><img src="blob:https://revistarebram.com/2612256d-26d6-42d9-8777-e78f4acfbbdf" /></p> <p><strong>Qualquer usuário tem direito de:</strong></p> <ul> <li><strong>Compartilhar</strong> — copiar, baixar, imprimir ou redistribuir o material em qualquer suporte ou formato.</li> <li><strong>Adaptar</strong> — remixar, transformar, e criar a partir do material para qualquer fim, mesmo que comercial.</li> </ul> <p> De acordo com os seguintes termos:</p> <ul> <li><strong>Atribuição</strong> — Você deve dar o crédito apropriado, prover um link para a licença e indicar se mudanças foram feitas. Você deve fazê-lo em qualquer circunstância razoável, mas de maneira alguma que sugira ao licenciante a apoiar você ou o seu uso.</li> <li><strong>Sem restrições adicionais</strong> — Você não pode aplicar termos jurídicos ou medidas de caráter tecnológico que restrinjam legalmente outros de fazerem algo que a licença permita.</li> </ul> <p>Autores concedem à ReBraM os direitos autorais, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/">Licença Creative Commons 4.0 by. </a><strong>, </strong>que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> Atividade antidiabética das macroalgas pardas do gênero Sargassum - Uma revisão https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2154 <p>A <em>diabetes mellitus</em> (DM) é uma síndrome metabólica e crônica caracterizada pela elevação persistente dos níveis de glicose no sangue. A terapia farmacológica se baseia principalmente na administração de insulina e/ou agentes hipoglicemiantes orais, os quais apresentam efeitos adversos, tais como hipoglicemia e distúrbios gastrointestinais, e nem sempre são eficientes na prevenção e tratamento das complicações associadas a DM. A busca por alternativas naturais é uma estratégia promissora no tratamento das doenças crônicas. As macroalgas pardas do gênero <em>Sargassum</em> têm demonstrado uma variedade de metabólitos secundários com atividades biológicas diversas, como anti-inflamatória, antitumoral, antimicrobiana, neuroprotetora, hipolipidêmica e hipoglicemiante. Portanto, este trabalho teve como objetivo realizar uma revisão da literatura acerca da atividade antidiabética de diferentes espécies de <em>Sargassum. </em>Estas algas, nas formas de extratos (especialmente aquoso e alcoólico) ou compostos/frações de compostos isolados, conseguiram atenuar os sintomas do diabetes através de diversos mecanismos, a exemplo da inibição <em>in vitro</em> das enzimas-chave na quebra de polissacarídeos, α-amilase e α-glicosidase, e a redução da resistência à insulina, proporcionando a melhora do quadro hiperglicêmico. Diante disso, as espécies do gênero <em>Sargassum</em> e seus compostos bioativos apresentam um grande potencial no tratamento adjuvante do diabetes e na prevenção das complicações micro e macrovasculares resultantes do estado hiperglicêmico sustentado.</p> Arthur Gabriel Corrêa de Farias Gabriela Corrêa de Farias Naelly Lays Monteiro Florêncio Rafaella Alves de Albuquerque Ricardo Olimpio de Moura Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-01-01 2024-01-01 27 1Supl 144 161 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl.2154 Jabuticaba (Plinia cauliflora): uma revisão de literatura sobre sua composição química e atividades biológicas https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2159 <p>O Brasil possui uma rica biodiversidade vegetal e, neste contexto, a <em>Plinia cauliflora</em> (jabuticaba) se destaca como uma espécie nativa com grande potencial farmacológico. A planta é encontrada em várias regiões do país e tem sido estudada por suas diversas atividades biológicas, como antioxidante, anti-inflamatória, vasodilatadora, antitumoral, antiparasitária, leishmanicida, antidiarreica, antiobesidade e fotoprotetora. Estas atividades estão associadas à presença de compostos fenólicos, como antocianinas, flavonoides, procianidinas, ácidos fenólicos e taninos, e estão presentes nas diferentes partes da planta. O uso popular da <em>P. cauliflora</em> inclui o tratamento de diversas doenças, como disenteria, diarreia, inflamações, gripe, bronquite e labirintite. Além disso, os frutos da jabuticaba são consumidos <em>in natura</em> e demonstram benefícios à saúde, incluindo efeitos antioxidantes e a redução dos níveis séricos de glicose e insulina em indivíduos saudáveis. No entanto, apesar do uso tradicional, a pesquisa científica sobre as propriedades farmacológicas das folhas e ramos da <em>P. cauliflora</em> é limitada, o que apresenta uma oportunidade de estudos adicionais e exploração de seu potencial medicinal. Esta revisão descreveu as principais propriedades químicos e biológicas encontradas na literatura sobre <em>P. cauliflora</em>, com foco nas partes vegetais, bem como folhas, ramos e frutos. A metodologia empregada nessa revisão foi a busca de informações nos bancos de dados: Google Acadêmico, Scielo, Science Direct, Scopus, Periódico CAPES e PubMed; usando palavras-chave em inglês e português, como “<em>Plinia cauliflora</em>”, “Jaboticaba”, “Jabuticabeira”, “<em>Myrciaria cauliflora</em>” e sinônimos. Os artigos científicos priorizados para a coleta de dados foram àqueles publicados na última década, entre os anos de 2011 a 2023. A revisão destacou a importância de promover um melhor aproveitamento químico-farmacológico de todas as partes da <em>P. cauliflora</em>, incentivando pesquisas futuras sobre a descoberta de novos compostos e a relação destes fitoconstituintes com as atividades biológicas presentes na espécie.</p> Priscila de Lima Paula Núbia Benini Andrade Lucas de Araújo Carvalho Gustavo Lucas da Silva Lima Rodrigo Luiz Fabri Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-01-01 2024-01-01 27 1Supl 162 179 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl.2159 Inibição da tirosinase e a presença de substâncias bioativas em extratos vegetais: uma revisão integrativa da literatura https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2161 <p>Ácidos fenólicos e flavonoides <em>C</em>-glicosilados têm obtido papel de destaque como inibidores da tirosinase oriundos de fontes naturais. O presente estudo teve como objetivo realizar uma revisão integrativa da literatura, a fim de identificar a relação existente entre a inibição da tirosinase <em>in vitro</em> e a presença de substâncias bioativas em extratos vegetais. Foi realizada uma busca sistemática de artigos em inglês em distintas bases de dados, entre agosto de 2018 e janeiro de 2023, por meio dos seguintes descritores: <em>(tyrosinase) and (inhibitor) and (chlorogenic acid or orientin or isoorientin or rutin or epicatechin) and (plant extracts)</em>. Os critérios de inclusão foram: i) estudos com extratos vegetais inibidores da tirosinase; ii) estudos que avaliaram a inibição da tirosinase por extratos contendo as substâncias citadas anteriormente; iii) estudos que avaliaram a inibição da tirosinase <em>in vitro</em>. Como critérios de exclusão foram considerados: i) estudos que não identificaram a presença das substâncias bioativas; ii) estudos de revisão. Um total de 42 artigos foram selecionados, dentre os quais constatou-se que as partes aéreas (n = 26), bem como o extrato metanólico (n = 36), foram o material e o extrato vegetal mais utilizados. As substâncias mais relatadas foram o ácido clorogênico (n = 40) e a rutina (n = 20). A capacidade inibitória da tirosinase foi atribuída a uma maior dosagem de compostos fenólicos e flavonoides, assim como a presença sinérgica das substâncias relatadas no presente estudo. Conclui-se que os resultados encontrados são importantes para a compreensão de extratos inibidores da tirosinase.</p> Pedro Henrique Santos de Freitas Luciana Poty Manso dos Santos Janaina de Carvalho Verissimo Sthefany Nolasco de Sena Stéfanie Caneschi Coelho de Souza Elita Scio Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-01-01 2024-01-01 27 1Supl 180 201 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl.2161 Avaliação comparativa da qualidade de formulações de cloridrato de amitriptilina disponíveis no mercado brasileiro https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2165 <p>A depressão é caracterizada pela perda ou diminuição de interesse e prazer pela vida, pelo sentimento de tristeza e baixa autoestima, gerando angústia e prostração, cansaço excessivo, dores no corpo, ansiedade e insônia. O cloridrato de amitriptilina é um antidepressivo tricíclico, um fármaco de grande eficácia no tratamento da depressão, comprovada por inúmeros estudos clínicos, sendo um medicamento de grande importância no mercado farmacêutico.&nbsp; Nesse contexto, a equivalência farmacêutica tem como objetivo promover testes comparativos de qualidade entre o medicamento referência e o medicamento teste. Assim, o objetivo deste estudo foi comparar a qualidade de comprimidos de amitriptilina disponíveis no mercado, classificados como medicamentos genéricos e de referência, por meio de análises farmacopeicas. As análises quantitativas foram realizadas por espectrofotometria no ultravioleta. As amostras analisadas apresentaram qualidade adequada quanto aos testes de determinação de peso, desintegração, uniformidade de doses unitárias, doseamento e dissolução, estando em conformidade com os parâmetros farmacopeicos e apresentando eficácia e segurança de uso assegurada. Entretanto, na comparação dos perfis de dissolução, a amostra referência de 75 mg apresentou valores próximos a 80% de dissolução em menos de 15 minutos, enquanto para as amostras genérico de 75 mg e referência de 25 mg foram necessários tempos próximos a 60 minutos para atingir esse valor. Para comparação dos perfis, foi calculado o fator de semelhança (f2) entre as amostras AxB e AxC, os quais foram 10,58 e 30,65, respectivamente. Assim, as amostras não demonstraram equivalência farmacêutica nas condições testadas</p> Pamela Cristina Camargo Mauricio Rodrigo Batista de Almeida Lucélia Magalhães da Silva Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-01 2024-04-01 27 1Supl 4 16 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl.2165 A percepção de estudantes de Farmácia sobre o problema do escorpionismo no Brasil https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2166 <p>Em 2022, o Ministério da Saúde registrou 141.400 acidentes com escorpião no Brasil, incluindo 1.500 casos graves que demandaram internação hospitalar devido à sua gravidade. A falta de informação expõe a população, especialmente crianças e idosos, ressaltando a necessidade de cuidados imediatos para evitar complicações. Nesse contexto, o estudo teve como objetivo avaliar o nível de conhecimento de estudantes de Farmácia de uma Instituição de Ensino Superior do Rio Grande do Norte, Brasil, sobre o escorpionismo. Utilizando um questionário online, 49 estudantes (predominantemente do sexo feminino e com idade entre 21 e 25 anos) foram entrevistados. Embora 93,9% nunca tenham sido picados por escorpiões, 61,7% conheciam alguém que experimentou o incidente. Quanto aos cuidados imediatos, houve falta de consenso, especialmente sobre o uso de compressas quentes ou frias. Em relação ao uso de torniquete, 57,1% desencorajaram, 10,2% o utilizariam, 8,2% estavam indecisos e 24,5% não souberam responder. Sobre aplicar substâncias na lesão, 63,3% indicaram água e sabão, 20,4% preferiram nenhuma aplicação, 8,2% escolheram álcool 70% e 4,1% sugeriram pomadas anti-inflamatórias. Os resultados apontam para um conhecimento deficiente sobre escorpionismo, possivelmente devido à ausência de disciplinas específicas, o que é comum a vários cursos da área da saúde, sendo a tomada de decisões sobre cuidados iniciais incerta mesmo entre estudantes de ensino superior. Dada a possibilidade de complicações na ausência de tratamento adequado, a educação em saúde é crucial, especialmente para farmacêuticos, que desempenham um papel essencial no cuidado comunitário e podem orientar a população de maneira correta e eficaz.</p> Amanda Fernanda da Silva Juliana Félix da Silva Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-01 2024-04-01 27 1Supl 17 25 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl.2166 Comparação do perfil de dissolução de comprimidos de lamotrigina de referência, genéricos e similares disponíveis comercialmente no Peru e no Brasil https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2167 <p>A comparação de perfis de dissolução entre medicamentos é um dos ensaios mais importantes para a determinação da intercambialidade. Este estudo comparou os perfis de dissolução <em>in vitro</em> de medicamentos contendo 50 mg de lamotrigina na forma de comprimidos, sendo três medicamentos brasileiros (referência, genérico e similar) e três medicamentos peruanos (dois similares e um genérico), seguindo os protocolos de ensaios oficiais de dissolução. Os resultados obtidos nos meios pH 1,2 e 4,5 indicam que todas as amostras testadas atenderam aos padrões especificados. Enquanto no meio de dissolução com pH 6,8, apenas uma das amostras não apresentou um resultado inferior as demais; trazendo novas evidências na possibilidade de intercambialidade de lamotrigina entre Brasil e Peru. Ressalta-se a importância de mais estudos para fomentar debates na padronização nas exigências legais de agências reguladoras de demais países a fim de assegurar a mesma biodisponibilidade e eficácia para pacientes em viagens internacionais.</p> Ana Karolina S. Goes Gilberto José Padilha Filho Maria Izabella Ramos Batista Paulo Renato de Oliveira Sarah Jáuregui-Zela Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-01 2024-04-01 27 1Supl 26 36 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl..2167 Sanitizante contendo extrato de casca de romã: preparo, caracterização e avaliação in vitro da redução microbiana https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2155 <p>A higiene das mãos e superfícies é um hábito crucial para prevenir a transmissão de patógenos. Apesar de seus benefícios, o uso frequente do álcool etílico pode causar acidentes por queimaduras e ressecamento nas mãos, justificando a busca por produtos alternativos. Considerando a atividade antimicrobiana de extratos de romã, o objetivo do presente trabalho foi preparar e caracterizar formulações de sanitizantes contendo extrato seco total das cascas de romã (ESTCR) e pesquisar a capacidade da melhor formulação reduzir a carga microbiana sobre diferentes superfícies. Foram preparadas duas formulações de sabonetes líquidos contendo o ESTCR (2,5% p/p), nas quais foram pesquisados os caracteres organolépticos, o pH, a formação e persistência de espuma, a densidade relativa, a viscosidade cinemática e a resistência ao estresse mecânico. Na formulação eleita, a redução da carga microbiana foi estudada sobre diferentes superfícies. Ambas as formulações apresentaram atributos de qualidade físico-químicos semelhantes: coloração amarelo-âmbar, ausência de resíduos, espuma consistente e permanente, boa capacidade espumógena e facilidade de enxágue. A formulação com lanolina etoxilada (LE) apresentou viscosidade elevada, sendo descartada. A redução da carga microbiana foi pesquisada para a formulação sem LE com ESTCR, sendo observada inibição total do crescimento microbiano, semelhante ao álcool etílico a 77% v/v. A partir dos resultados observados é possível inferir que o sabonete líquido contendo ESTCR a 2,5% p/p é potencialmente útil para uso como sanitizante. Expandir a disponibilidade de produtos derivados de plantas atende à crescente demanda por produtos de origem natural e contribui para o desenvolvimento da economia circular.</p> Vitória Ribeiro Mantovanelli Matheus Anastácio de Souza Cleveland Soriano Neto Nicolly Soares Ferreira Juliana Alves Resende Janaina Cecília Oliveira Villanova Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-01 2024-04-01 27 1Supl 37 53 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl..2155 Formulação de gel-creme a base de óleo de camomila (Matricaria chamomilla L.) com potencial bioadesivo, oclusivo e antioxidante para aplicação cutânea https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2156 <p>O óleo de camomila (<em>Matricaria chamomilla L.</em>) possui propriedades calmantes, anti-inflamatórias e antibacterianas, mostrando-se promissor para acelerar o processo de cicatrização em queimaduras. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi desenvolver géis-creme contendo óleo de camomila e avaliar o potencial bioadesivo e oclusivo, atividade antioxidante e citotoxicidade em ensaio de <em>Allium cepa,</em> visando aplicação cutânea das formulações. As formulações foram preparadas por emulsificação, utilizando duas fases, sendo uma oleosa composta por emulsionantes e o óleo de camomila; e uma fase aquosa contendo goma gelana (F1) ou goma carragena (F2) como agente formador de gel. A bioadesão foi conduzida com pele suína como membrana biológica, havendo similaridade entre o potencial bioadesivo das formulações. Para a oclusão <em>in vitro</em>, empregou-se o método de perda de água. Ambas apresentaram oclusividade de aproximadamente 30%. A atividade antioxidante avaliou a capacidade de eliminação do radical 2,2-difenil-1-picrilhidrazil (DPPH). Neste teste houve diferença entre as formulações, onde a F1 apresentou uma atividade de 82,28 ± 13,04% e a F2 de 61,51 ± 7,50%. O modelo de <em>Allium cepa </em>foi empregado para avaliar a citotoxicidade e ambas as formulações reduziram o índice mitótico quando comparado ao controle negativo, sugerindo uma possível toxicidade na concentração testada. Os géis-cremes desenvolvidos neste estudo, utilizando gomas naturais, revelaram-se como plataformas promissoras para a administração cutânea do óleo de camomila. Os resultados da bioadesão, oclusão e atividade antioxidante sugerem que as formulações têm potencial para aplicação em feridas cutâneas, principalmente aquelas causadas por queimaduras, uma vez que poderiam acelerar a recuperação promovendo conforto ao paciente.</p> Giovanna Araujo de Morais Trindade Laiene Antunes Alves Kamila Gabrieli Dallabrida Marcel Henrique Marcondes Sari Jéssica Brandão Reolon Roberto Pontarolo Luana Mota Ferreira Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-01-01 2024-01-01 27 1Supl 54 69 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl..2156 Análise do perfil químico e dos adulterantes em amostras de cocaína apreendidas na Paraíba: um estudo revelador sobre a realidade das drogas https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2157 <p>A utilização e o abuso das drogas colocam em risco a saúde do indivíduo, deixando assim expostos e também vulneráveis aos efeitos psicoativos destas substâncias. Ao percorrer a história, o uso de drogas é um fato muito antigo onde cada vez aumenta mais os números de usuários. As substâncias psicoativas são drogas que atuam no sistema nervoso central (SNC), sendo elas capazes de modificar os mecanismos bioquímicos do cérebro. A cocaína é obtida por meio da extração das folhas do vegetal Erytroxylum coca, sendo classificada como um alcaloide tropânico. É sabido que a cocaína traficada nas ruas não é totalmente pura. Várias substâncias de fácil obtenção e baixo custo são acrescentadas com o intuito de aumentar seu volume final e por conseguinte maximizar a lucratividade do comércio ilegal. Objetivou nesse trabalho identificar os principais adulterantes e verificar o perfil químico das amostras apreendidas pela Polícia Civil-PB. Para tanto, foi realizada uma análise qualitativa e descritiva dos resultados analíticos já existentes no Instituto de Polícia Científica – PB. Foram analisadas 165 amostras, onde mais de 60% das amostras eram positivas para cocaína e cerca de 30% continha apenas adulterante. Observou que a maioria das amostras estava adulterada e os principais adulterantes foram a cafeína, creatina, fenacetina, bicarbonato de sódio e sacarose. Além disso, houve uma mudança no perfil químico das amostras durante os anos de 2018 a 2021. Com os resultados obtidos foi possível contribuir para um conhecimento mais aprofundado do perfil químico das amostras apreendidas na Paraíba.</p> Mariana Plácido Brandão Calebe da Rocha Gabriel Viviane Dantas de Macêdo Zacchia Hayvolla Fernandes Marinho de Araujo Daniela de Araújo Vilar Marina Suênia de Araújo Vilar Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-01 2024-04-01 27 1Supl 70 77 Avaliação da utilização de anticoncepcionais orais e de emergência entre mulheres de Santa Cruz do Capibaribe-PE https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2158 <p>No Brasil, constata-se que as mulheres têm começado a vida sexual cedo, e assim, iniciam a contracepção também precocemente. Atualmente, a pílula (anticoncepcional oral combinado) é um dos principais métodos contraceptivos mais utilizados. Todavia, o mau uso de métodos hormonais orais, a longo prazo, pode acarretar riscos graves à saúde da mulher. Ademais, podem surgir efeitos colaterais, como aumento de peso, depressão, diminuição de libido, dor de cabeça, exaustão e acne. Mensurar o conhecimento sobre o uso e os riscos da utilização de contraceptivos orais e de emergência entre mulheres da cidade de Santa Cruz do Capibaribe-PE. A pesquisa foi realizada de forma on-line, pela plataforma Google Forms, no período de agosto a setembro de 2023. Durante a pesquisa observou-se que 63% das entrevistadas têm como preferência o anticoncepcional oral, dentre a faixa etária de 18 a 25 anos (70,6%). A principal intenção de uso é a prevenção de concepção (88,8%). As usuárias que são menos adeptas foram as que possuíam ensino superior completo (8,6%), frente às que concluíram a educação fundamental (63,8%). O enjoo (21.6%) e cefaleia (19,6%) foram as reações adversas mais prevalentes e descritas pelas entrevistadas. Através do estudo foi possível analisar a forma que esses métodos estão sendo utilizados, trazendo assim informações importantes para todos os profissionais e a população, tais como: anticoncepcionais mais utilizados, perfil sociodemográfico das usuárias, como também, possíveis reações adversas.</p> Isamara da Costa Silva Artur Pedro da Silva Caio Caio José Florêncio dos Santos Gianna Emanuella Sales Tavares Rocha Marina Suênia de Araújo Vilar Soares Daniela de Araújo Vilar Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-01 2024-04-01 27 1Supl 78 92 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl.2158 Ensaio de pré-formulação e desenvolvimento de carreador lipídico nanoestruturado visando a terapia antileishmaniose https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2160 <p>As leishmanioses são doenças tropicais negligenciadas (DTNs), onde no Brasil o tratamento de primeira escolha é feito com o antimoniato de meglumina (AM), medicamento com diversos efeitos adversos. O objetivo do trabalho foi desenvolver carreadores lipídicos nanoestruturados (CLN) contendo AM para o tratamento de leishmaniose. Foi realizado um estudo de pré-formulação, contendo avaliação do equilíbrio hidrófilo-lipófilo (EHL), triagem de lipídeos, estudos de compatibilidade e planejamento quali-quantitativo. Os CLN foram preparados pelo método de dupla emulsificação e avaliados quanto ao diâmetro de partícula, índice de polidispersão (PdI), potencial zeta (PZ) e eficiência de encapsulação (EE). O CLN escolhido foi caracterizado por microscopia eletrônica de transmissão (MET), calorimetria exploratória diferencial (DSC), espectroscopia no infravermelho por transformada de fourier (FTIR) e difração de raios-X (DRX). Também foi testado <em>in vitro</em> para avaliar citotoxicidade em macrofágos Raw 264.7. Os resultados do estudo de pré-formulação indicaram a escolha do Miglyol<sup>®</sup>812 como lipídio líquido e o Alkest<sup>®</sup> CSO 300 como o melhor tensoativo hidrofílico (EHL= 8,74). O CLN mais promissor do planejamento apresentou diâmetro médio de 29 nm, PdI 0,251, PZ -6,76 e EE &gt; 90%.&nbsp; Técnicas de caracterização das nanopartículas confirmaram a incorporação do AM no CLN e obtenção de uma matriz menos cristalina. O AM não apresentou citotoxicidade nos macrófagos, enquanto o CLN contendo o fármaco foi citotóxico acima de 19 µg/mL. Portanto, foi possível obter CLN com propriedades físico-químicas adequadas, alta eficiência de encapsulação e potencial para liberação prolongada do AM. Estudos para avaliar citotoxicidade em leishmanias serão conduzidos.</p> Samilly Gabrielly dos Santos Sales Myla Lôbo de Souza Maria Lavinya Arruda da Rocha Dante Emanuel de Souza Silva Larissa Pereira Alves Pedro José Rolim Neto Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-01-01 2024-01-01 27 1Supl 93 110 Tendências de uso e prescrição de Benzodiazepínicos na atenção primária do SUS: um estudo em Massaranduba – PB https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2162 <p>Os psicotrópicos são substâncias que irão agir no Sistema Nervoso Central, onde causarão mudanças de comportamento e humor no usuário. No que diz respeito aos benzodiazepínicos (BZDs), estes são indicados como primeira opção de tratamento para pacientes que apresentam quadros de ansiedade e/ou insônia. Apesar de serem fármacos seguros e de alta eficiência, seu uso por um longo prazo não é recomendado porque pode gerar efeitos adversos como efeitos cognitivos, físicos, psicomotores, tolerância e até mesmo gerar alta dependência dessa substância. Diante disso, essa pesquisa teve como objetivo avaliar o uso de benzodiazepínicos no serviço de atenção primária do SUS no Município de Massaranduba – PB. A pesquisa foi conduzida em uma farmácia básica do referido município, utilizando como fonte de informações o sistema da farmácia e os receituários da lista-B1 do mês de junho de 2022 até junho de 2023, a fim de traçar um perfil de utilização dos BZDs. Quanto aos resultados, evidenciou-se uma prevalência do gênero feminino nas prescrições de BZDs analisadas, sendo o clonazepam de 2 mg o medicamento mais prescrito. Observou-se que 32,3% dos pacientes atendidos fizeram uso deste medicamento excedendo o período de uso recomendado na literatura. Embora os achados científicos apontem que não se deve fazer a associação do diazepam com a amitriptilina ou a fluoxetina, ainda encontramos um percentual de 11% de prescrições com esta associação.</p> Nathiely Tayanne Tavares da Silva Alice Mariah Martins Bernardo Queiroga Carlos Daniel de Oliveira Barbosa Zacchia Hayvolla Fernandes Marinho de Araújo Marina Suênia de Araújo Vilar Daniela de Araújo Vilar Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-01-01 2024-01-01 27 1Supl 110 118 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl..2162 Uso de gomas naturais para obtenção de emulsões de óleo de camomila pretendidos para aplicação cutânea https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2163 <p>Gomas naturais, como goma gelana e goma carragena, são usadas em formulações farmacêuticas pela sua ação espessante, estabilizante e gelificante. Assim, o trabalho teve por objetivo preparar emulsões semissólidas a base de gomas naturais para incorporação do óleo de camomila, com a pretensão de uso em desordens cutâneas. As formulações foram preparadas a partir da emulsão entre uma fase oleosa, composta por álcool cetoestearílico, álcool cetoestearílico etoxilado, vitamina E e óleo de camomila, e uma fase aquosa contendo propilenoglicol, goma gelana (F1) ou goma carragena (F2), EDTA, conservante e água. As formulações foram avaliadas em relação ao seu pH, densidade, espalhabilidade, ensaio reológico, análise de infravermelho e teste de centrifugação.&nbsp; O pH permaneceu na faixa ácida, sendo 5,05 ± 0,05 para F1 e 4,77 ± 0,26 para F2. A densidade apresentou-se dentro da faixa recomendada pela ANVISA, para ambas as formulações. No teste de espalhabilidade houve aumento da área espalhada à medida que o peso foi aplicado, com F2 (12,65 ± 1,02 mm<sup>2</sup>/g) aparentando melhor capacidade de espalhamento que F1 (10,25 ± 1,5 mm<sup>2</sup>/g). As formulações se comportaram como fluidos não-Newtonianos com característica viscoelásticas. A análise de infravermelho mostrou similaridades entre as formulações, destacando bandas de estiramento em torno de 3500 cm<sup>-1</sup> relacionadas às hidroxilas nas gomas. No teste de centrifugação, F2 apresentou separação de fases, sugerindo instabilidade. As emulsões à base de gomas naturais mostraram que a goma gelana possuiu melhores características e estabilidade em comparação à goma carragena, sendo mais promissora para aplicação na pele.</p> Laiene Antunes Alves Giovanna Araujo de Morais Trindade Raul Edison Luna Lazo Alexandre de Fátima Cobre Roberto Pontarolo Luana Mota Ferreira Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-01-01 2024-01-01 27 1Supl 119 132 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl..2163 Análise comparativa dos resultados analíticos dos ensaios toxicológicos do núcleo de laboratórios forense- NULF/IPC de Campina Grande-PB https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2164 <p>A toxicologia forense utiliza de técnicas analíticas quantitativas e qualitativas para analisar as amostras coletadas, utilizando testes de triagem e definitivos para o resultado final com eficiência na detecção de substâncias tóxicas. Deve-se conhecer a dinâmica dos laboratórios de toxicologia forense a fim de ajudar a definir suas necessidades analítica e assegurar os preceitos básicos da credibilidade analítica. Assim, o presente trabalho tem como objetivo traçar o perfil analítico do laboratório de toxicologia do NULF-CG considerando os últimos cinco anos. Foi realizada uma pesquisa descritiva com abordagem quantitativa e análise documental. Foram analisados todos os laudos registrados no NULF- CG, nesse período. Entre os anos sob estudo, houve um decaimento no número de casos ao longo do período estudado. O gênero masculino foi o que teve maior número de casos dentro dos períodos analisados, com 69,07% nos anos de 2017 a 2021. A faixa etária com maior prevalência foi de 31-40 anos, com 25,19% entre os anos de 2017 a 2021 e 78,15% de prevalência das solicitações de exames toxicológicos de origem post-mortem. O sangue foi a amostra biológica mais utilizada com 32,52% entre os anos e a classe de substância mais usado nos anos de 2017 a 2021 foram os agrotóxicos e a substância mais usada foi o Carbofuran. Mediante os resultados, pôde-se ter clareza quanto à importância da padronização das análises toxicológicas em todas as suas fases, podendo ter o investimento em outros equipamentos aumentando o poder de identificação de substâncias nas análises toxicológicas.</p> Denilson Leal Rocha Natália Rodrigues Bezerra Caio José Florêncio dos Anjos Gianna Emanuella Sales Tavares Rocha Daniela de Araújo Vilar Marina Suênia de Araújo Vilar Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-01-01 2024-01-01 27 1Supl 133 144 10.25061/2527-2675/ReBraM/2024.v27i1Supl.2164 Edição Suplementar do IV Congresso de Ciências Aplicadas à Farmácia (CONCAF) https://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/2260 <p>Os estudos apresentados nesta Edição Especial Suplementar da Revista Brasileira Multidisciplinar (ReBRAm) são dedicados aos resultados e contribuições do IV Congresso de Ciências Aplicadas à Farmácia (CONCAF), realizado entre os dias 25 e 28 de outubro de 2023.<br>O CONCAF é reconhecido por seu papel fundamental no estímulo à continuidade dos estudos e atualizações de caráter técnico-científico, reunindo mais de 800 participantes entre acadêmicos e profissionais interessados em compartilhar conhecimento, promover debates e estabelecer redes de colaboração.<br>Este evento destacou-se por sua abrangência, reunindo profissionais e pesquisadores não apenas da área de Farmácia, mas também de disciplinas correlatas, como Química, Física, Biologia, Engenharia de Materiais, Cosméticos e Saúde Pública. Essa diversidade de áreas de interesse reflete a interdisciplinaridade e a complexidade do segmento farmacêutico, proporcionando um ambiente propício para o intercâmbio de ideias e experiências.<br>Além disso, o congresso recebeu mais de 150 resumos. O volume apresentado conta com artigos de diferentes pesquisadores do Brasil que foram submetidos a um rigoroso processo de revisão por pares, garantindo a qualidade e a relevância das contribuições apresentadas. Cada trabalho reflete o compromisso dos autores com a excelência científica e a inovação no campo das Ciências Aplicadas à Farmácia.<br>Gostaríamos de expressar nossos sinceros agradecimentos a toda a equipe que compõe o núcleo da Revista Brasileira Multidisciplinar, a qual, pelo segundo ano consecutivo, publica os trabalhos do CONCAF. Sua contribuição é fundamental para viabilizar este evento.</p> <p><br>Esperamos que os leitores desfrutem desta edição especial e que os conhecimentos compartilhados contribuam para o avanço contínuo da ciência e da prática farmacêutica.</p> <p>&nbsp;</p> João Augusto Oshiro Junior Arnóbio Antonio da Silva Junior Copyright (c) 2024 Revista Brasileira Multidisciplinar https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-06-24 2024-06-24 27 1Supl 3 3