Globalização, Governança e Novos Atores

Main Article Content

Ademil Lucio Lopes

Resumo

Brasil na década de 90, em vista da hegemonia do pensamento neoliberal que ensejou uma série de reformas que causaram o enfraquecimento do Estado em benefício de uma nova governança gerida pelas forças de mercado e impulsionada pela globalização financeira e comercial. Nesse período, em que o Estado brasileiro abandonou seu papel de articulador de políticas de desenvolvimento econômico e social, esse espaço acabou sendo ocupado por Estados e municípios, que passaram a articular políticas de desenvolvimento e a negociar diretamente com as empresas transnacionais investimentos produtivos para suas regiões, sem possuir um corpo técnico eficiente para conduzir as negociações. O resultado final foi uma série de acordos que beneficiou principalmente as empresas transnacionais, o que põe em dúvida os benefícios que países como o Brasil tiveram com a intensificação da globalização na década de 90.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Lopes, A. L. (2008). Globalização, Governança e Novos Atores. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 11(2), 130-139. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2007.v11i2.182
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Ademil Lucio Lopes, Centro Universitário de Araraquara – Uniara.

Graduado em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de São Carlos, doutorando em Sociologia pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) campus de Araraquara, docente dos Cursos de Economia, Administração e Engenharia de Produção Centro Universitário de Araraquara – Uniara.