O Processo de Formação dos Campos Organizacionais da Carne Bovina e Açúcar Orgânicos e suas Perspectivas

Main Article Content

Carlos Eduardo de Freitas Vian
Mariusa Momenti Pitelli

Resumo

Este trabalho analisa a dinâmica atual da produção de carne bovina e açúcar orgânicos, demonstrando as especificidades da organização interna das empresas e a necessidade de coordenação das atividades, desde o campo até a venda ao consumidor final. Utiliza-se como referencial teórico o conceito de “Campo Organizacional”. As informações foram coletadas por questionários enviados aos frigoríficos, às usinas, à principal certificadora e à associação de produtores de bovinos orgânicos. Conclui-se que a produção de carne e açúcar orgânicos formam Campos Organizacionais dentro das respectivas Cadeias Produtivas, pois estão submetidas à regulação e incentivo específicos – regras de certificação e da legislação federal de orgânicos – frutos dos interesses e estratégias dos diversos agentes envolvidos. Porém, distribuição a desigual dos ganhos obtidos com a comercialização de açúcar e carne orgânicos, principalmente em relação à baixa margem recebidas pelos produtores, pode levar a inviabilização do Campo Organizacional pela baixa oferta das respectivas matérias-primas orgânicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Freitas Vian, C. E. de, & Pitelli, M. M. (2007). O Processo de Formação dos Campos Organizacionais da Carne Bovina e Açúcar Orgânicos e suas Perspectivas. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 11(1), 113-136. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2007.v11i1.234
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Carlos Eduardo de Freitas Vian, Universidade de São Paulo.

Professor Doutor do Departamento de Economia, Administração e Sociologia da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” da Universidade de São Paulo.

Mariusa Momenti Pitelli, ESALQ USP.

Mestre em Economia, Doutoranda em Economia – ESALQ USP.