I Mostra Regional da Atenção Primária à Saúde do Departamento Regional de Saúde DRS III e III Mostra da Atenção Primária à Saúde de Araraquara

Main Article Content

Vários(as) Autores(as)

Resumo

 A I Mostra Regional da Atenção Primária à Saúde do Departamento Regional de Saúde - DRS III e III Mostra da Atenção Primária à Saúde de Araraquara aconteceu no dia 06/11/2019 das 8h às 17h no Centro Internacional de Convenção Dr. Nelson Barbieri, em Araraquara/SP.


 Esta Mostra foi organizada pelo Grupo de Trabalho de Humanização da SMS de Araraquara em parceria com o Centro de Desenvolvimento e Qualificação para o SUS do DRS III. Realizamos uma Mostra com apresentações culturais, apresentação de talentos de trabalhadores, de artesanatos e apresentação de setenta e quatro (74) trabalhos produzidos no cotidiano do cuidado na Atenção Primária à Saúde (APS). Estiveram presentes quinhentas e sessenta e quatro (564) pessoas, entre trabalhadores, gestores, estudantes, conselheiros de saúde e usuários dos serviços de saúde de Araraquara e região.


 Nossos objetivos foram promover encontros, trocas de experiências entre os municípios, aprender novos arranjos de trabalho em saúde pública, mas sobretudo, numa atitude política, afirmar o SUS que dá certo!


 Esta Mostra possibilitou uma valorização do trabalhador e do trabalho que é desenvolvido rotineiramente no SUS, dando visibilidade às experiências inovadoras, salientando o papel protagonista de cada ator do SUS na construção do cuidado.


 Dentre todos os trabalhos apresentados e avaliados pela Comissão Científica da Mostra, dez receberam destaque e foram certificados com Menção Honrosa. Alguns deles serão apresentados nas próximas páginas e apresentam arranjos desenvolvidos para o cuidado no Sistema Único de Saúde.


 Os trabalhos apresentados poderão servir aos leitores como exemplaridade de como acontece a produção do SUS e a produção do conhecimento no campo da saúde coletiva. Feurwerker (2016) nos põe a pensar que todo ato que adotamos, seja na atenção, na gestão ou no cuidado, é um ato político que ajuda na construção ou na desconstrução do SUS enquanto uma obra em aberto. Esta obra pode, e deve, ser transformada por nós a todo momento. Esta ainda nos provoca a pensar que o que deve determinar a produção no SUS é mais a micropolítica que se dá nos encontros entre os atores do SUS na produção do cuidado, a qual nos tem escapado de modo geral.


 Lima e Merhy (2016) nos trazem a ideia de que a ciência moderna produz uma radical separação entre as práticas sociais e o conjunto de saberes. A ideia é a construção do conhecimento nas Ciências Humanas e Sociais em Saúde produzindo pesquisas que tomam sujeitos e modos de vida como espaço de análise e interlocução, entrecortados pelo trabalho e o cuidado em saúde como um ato vivo, inscritos num processo histórico e social. Sendo assim, apostam na idéia de que a investigação no campo da saúde coletiva deve adotar o encontro como método. E que, é na repetição que se produzem diferenças. Esse jeito de fazer ciência e produzir conhecimento é um jeito mais intuitivo, das minorias, com um grande potencial produtivo. A produção de conhecimento se dá em ato, no encontro e na relação com os outros e seus modos de vida.


 Lima e Merhy (2016), parafraseando Gilles Deleuze e Jacques Derrida, referem que a repetição despotencializa vidas e a produção de conhecimentos, mas é possível fazer emergir a diferença na repetição. Aí está a prova! Boa leitura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Autores(as), V. . (2020). I Mostra Regional da Atenção Primária à Saúde do Departamento Regional de Saúde : DRS III e III Mostra da Atenção Primária à Saúde de Araraquara. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 23(2Supl.), 140-166. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2020.v23i2Supl.1263
Seção
Resumos

Referências

FEUERWERKER, L.C.M. A produção do SUS como política. Os modos de fazer política marcando a produção do SUS. In: Merhy EE, Baduy RS, Seixas CT, Almeida DESA, S. J. H. Avaliação Compartilhada do cuidado em saúde: surpreendendo o instituído nas redes. Rio de Janeiro: Hexis; 2016. v. 1, p.73-76.

LIMA, F. M.E.E. Produção de conhecimento, ciência nômade e máquinas de guerra: devires ambulantes em uma investigação no campo da Saúde Coletiva. In: Merhy EE, BADUY, R.S.C.T, Almeida DESA, Slomp Júnior H. Avaliação Compartilhada do cuidado em saúde: surpreendendo o instituído nas redes. Rio de Janeiro: Hexis; 2016. v. 1, p.18-21.

BADUY, R.S.C.T, Almeida DESA, Slomp Júnior H. Avaliação Compartilhada do cuidado em saúde: surpreendendo o instituído nas redes. Rio de Janeiro: Hexis; 2016. v. 1, p.18-21.