Comunicação e Inteligência Artificial: Percepção de Educadores e Técnicos do IFTO - Campus Palmas sobre a Ferramenta Chatterbot

Main Article Content

Fátima Regina Domingos
Rivadavia Porto Cavalcante
Mary Lucia Gomes Silveira de Senna
Weimar Silva Castilho
Cláudio de Castro Monteiro

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo apresentar os resultados da pesquisa realizada via Google Forms, com os professores e técnicos administrativos educacionais de uma   instituição de ensino profissional e tecnológico do Estado do Tocantins em relação aos conhecimentos e utilização da tecnologia chatterbot para melhoria das informações acadêmicas e administrativas. Durante a aplicação da pesquisa estabeleceu-se diálogos entre a teoria de Inteligência Artificial (IA), especialmente a virtual, e as Metodologias Ativas, no caso deste estudo, as mídias sociais que possam ser utilizadas. Com a elaboração da pesquisa, obteve-se no resultado final que os entrevistados aprovam a utilização de um chatterbot para viabilizar e agilizar informações de cunho acadêmico na instituição

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Domingos, F. R., Cavalcante, R. P., Gomes Silveira de Senna, M. L., Castilho, W. S., & de Castro Monteiro, C. (2021). Comunicação e Inteligência Artificial: Percepção de Educadores e Técnicos do IFTO - Campus Palmas sobre a Ferramenta Chatterbot. Revista Brasileira Multidisciplinar - ReBraM, 24(2), 36-48. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2021.v24i2.1086
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Fátima Regina Domingos, Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologias do Estado do Tocantins - IFTO

Mestranda do ProfEPT Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica, do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologias do Estado do Tocantins - IFTO; Pós-graduada em Gestão Escolar com Ênfase em Administração, Supervisão e Orientação Escolar; Pós-graduada em Educação Física com Ênfase em Treinamento Esportivo, Pós-Graduanda em Docência da Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS. Atualmente é assistente administrativo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Tocantins. Tem experiência na área de Educação.

Referências

BARROS, Daniela Melaré Vieira; GUERREIRO, Aníbal Martins. Novos desafios da educação a distância: programação e uso de Chatbots. Espaço Pedagógico, v. 26, n. 2. Passo Fundo, p. 410-431, mai/ago 2019. Disponível em: www.upf.br/seer/index.php/rep - Acesso em 22/07/2020.

CIAVATTA, M. O Ensino Integrado, a Politecnia e a Educação Omnilateral: Por que lutamos? Revista Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 23, n. 1, p. 187-205, jan./abr. 2014. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/9303/6679 - Acesso em: 29 mai. 2020.

COELHO, C. N. P. A Comunicação Virtual Segundo Lévy e Baudrillard. Communicare (São Paulo), São Paulo, v. 2, n.1, p. 117-126, 2002.

https://casperlibero.edu.br/wp-content/uploads/2014/07/A-comunicação-virtual-Segundo-Lévy-e-Baudrillard.pdf - Acesso 15/08/2020.

FLICK, Uwe. Desenho da pesquisa qualitativa.Trad. Roberto Cataldo Costa; consultoria, supervisão e revisão técnica desta edição Dirceu da Silva. Porto Alegre: Artmed, 2004.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila de estudo.

GERHARDT, Tatiana Engel. SILVEIRA, Denise Tolfo. [organizadoras]. Métodos de pesquisa. Coordenado pela Universidade Aberta do Brasil – UAB/UFRGS e pelo Curso de Graduação Tecnológica – Planejamento e Gestão para o Desenvolvimento Rural da SEAD/UFRGS. – Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de Pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. Vol. 2. 2ª edição. Rio de Janeiro, Brasileira, 2001.

LAKATOS, Eva M.; MARCONI, Marina A. Fundamentos de Metodologia Científica.6. ed. – 4. reimpr. São Paulo: Atlas, 2007.

LEONHARDT, M. D.; CASTRO, D. D.; DUTRA, R. L. S.; TAROUCO, L. M. R. ELEKTRA: Um Chatterbot para Uso em Ambiente Educacional. RENOTE: Revista Novas Tecnologias na Educação, Porto Alegre, v.1, n. 2, set. 2003. Disponível em: https://www.seer.ufrgs.br/renote/article/view/14336 - Acesso em 25/07/2020.

MACHADO, Vinícius Pontes. Inteligência Artificial. 2011, apostila de estudos. Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN.

MOREIRA, Marco Antonio. Teorias da Aprendizagem. São Paulo: EPU, 1999.

OLIVEIRA, M.K. Vygotsky - Aprendizado e desenvolvimento: Um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1997.

PAVELOSKI, Alessandro. Subsídios para uma Teoria da Comunicação digital. Textos de la Cibersociedad, Espanha, v. 4, 2004. Disponível em: http://bocc.ubi.pt/pag/paveloski-alessandro-teoria-comunicacao-digital.html - Acesso em 10/08/2020.

QUARTIERO, Elisa Maria. As Tecnologias da Informação e Comunicação e a Educação. Revista Brasileira de Informática na Educação, [S.l.], v. 4, n. 1, p. 69-74, dez. 2012. ISSN 2317-6121. Disponível em: <https://br-ie.org/pub/index.php/rbie/article/view/2294/2056> - Acesso em: 02/08/2020 doi: http://dx.doi.org/10.5753/rbie.1999.4.1.69-74.

ROTHERMEL, A. e DOMINGUES, M. J. C. de S. “Maria: um Chatterbot Desenvolvido para os Estudantes da Disciplina ‘métodos e Técnicas de Pesquisa em Administração”. SEGET, 2007. Disponível em: https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos07/923_artigos2007eget2.pdf – Acesso 20/07/2020.

SILVA, Ivan de Souza; ESPRITZER, Ilda M.P. Almeida; OLIVEIRA, Wendell Porto de. A Importância da Inteligência Artificial e dos Sistemas Especialistas. Congresso Brasileiro de Ensino de Engenharia Conbenge 2004. Disponível em http://www.abenge.org.br/cobenge/arquivos/15/artigos/09_158.pdf - Acesso: em 10/08/2020.