Dieta e Ritmo Circadiano da Atividade Alimentar do Tamoatá Hoplosternum Littorale (Hancock, 1828) (Siluriformes, Callichthydae) Capturados no Rio Vacacaí, Rio Grande do Sul, Brasil

Éverton Luís Zardo, Everton Rodolfo Behr

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo contribuir com os conhecimentos biológicos e ecológicos de Hoplosternum littorale através do estudo de sua dieta no Rio Vacacaí, RS. Para tal, foram realizadas coletas em todas as estações do ano em quatro pontos escolhidos ao longo do Rio Vacacaí, utilizando-se redes de espera com malhas 1,5; 2,0; 2,5; 3,0; 4,0; 5,0; 6,0 e 8,0 cm entre nós adjacentes. As redes permaneceram na água por 24 horas, sendo revisadas a cada seis horas. Os peixes capturados foram fixados em formol 10% e posteriormente conservados em álcool 70%. Os exemplares foram pesados, medidos e tiveram o trato digestório retirado para a análise da dieta. Os itens encontrados no conteúdo estomacal foram separados em seis categorias: Insetos, Moluscos, Detrito/Sedimento, Vegetais, Escamas e Nematoides, sendo cada categoria analisada pelos métodos de frequência de ocorrência e volumétrico, sendo estes combinados posteriormente para se obter o Índice Alimentar (IAi). O Grau de Repleção estomacal (GR) e o Índice de Repleção (IR) também foram estimados para avaliar a atividade alimentar de acordo com o ritmo circadiano. Os itens mais importantes na dieta dessa espécie de acordo com o IAi foram insetos, detrito/sedimento e vegetais. H. littorale apresentou maior atividade alimentar no inicio da manhã, coincidindo com uma maior captura também na revisão deste horário, o que sugere uma atividade noturna.

Palavras-chave


Alimentação; Espectro trófico; Hoplosternum littorale.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2013.v16i2.63

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340