Padronização de Critérios Hematológicos para o Auxílio no Diagnóstico Laboratorial de Leucemias Mielóides

Miriane da Costa Gileno, Débora Helena Pereira, Mariana H.D. Ruggeri, Marta M.F. Vasques, Pâmela Alegranci, Lígia Terezani, Mariana M. de Castro

Resumo


As leucemias são um grupo de doenças cuja manifestação em comum é a proliferação maligna de células hematopoiéticas na medula óssea; o clone leucêmico usualmente substitui a população celular normal da medula óssea. O presente trabalho teve como objetivos: 1) padronizar a reação citoquímica da mieloperoxidase, auxiliando no diagnóstico exato das leucemias agudas, acelerando assim o tratamento e encaminhamento médico; 2) padronizar a leitura dos esfregaços com leucocitose e desvio à esquerda, com relação à observação de eosinófilos, basófilos, eritroblastos, promielócitos e mielócitos, para o diagnóstico diferencial de LMC; 3) análise da incidência de Leucemia Mielóide Aguda e Crônica nos pacientes do Laboratório da Santa Casa de Misericórdia de Araraquara – SP. Foram analisadas amostras de sangue de 54 pacientes da Santa Casa de Misericórdia de Araraquara-SP, cujo hemograma se apresentou alterado (presença de blastos ou número elevado de leucócitos com células imaturas). Para as amostras que apresentaram blastos em número aumentado, realizouse a reação citoquímica da mieloperoxidase. Para as amostras com leucocitose os critérios hematológicos avaliados foram: presença de eosinófilos, basófilos, mielócitos, eritroblastos, e trombocitose. Dos 46 casos de leucocitose avaliados, identificamos que 59 % das amostras tratavam-se de reação leucemóide e 41 % de LMC. A padronização da reação da mieloperoxidase foi possível, mediante a análise de 8 casos com suspeita de Leucemia Aguda, dentre os quais 6 apresentaram positividade para a reação. Após a realização do trabalho chegamos a conclusão de que é importante realizar um hemograma mais consciencioso no caso de leucocitose, avaliando sempre os critérios discutidos no trabalho. A padronização da reação citoquímica da mieloperoxidase nos casos suspeitos de leucemia aguda mostrou-se muito fácil podendo ser utilizada em qualquer laboratório de rotina, o que auxiliaria no diagnóstico diferencial de leucemias agudas mielóides e linfóides, aumentando assim a chance de sobrevida do paciente.

Palavras-chave


Mieloperoxidase; Leucemias; Hemograma.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2005.v9i1.299

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Brasileira Multidisciplinar-ReBraM (e-ISSN: 2527-2675)

Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / Brasil / CEP 14801-340