Qualidade de vida de servidores públicos em um município no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais

Main Article Content

Clayton Samuel Silva
Luciana Freitas Campos
Harriman Aley Morais

Resumo

O termo “qualidade de vida”, embora amplamente presente na literatura, ainda é pouco discutido quando se trata de servidores públicos municipais. Assim, o objetivo desta pesquisa foi o de avaliar a percepção da qualidade de vida de profissionais vinculados a uma prefeitura de um município de pequeno porte, localizado no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais. Para tanto, aplicou-se o questionário WHOQOL-Bref a 85 trabalhadores do serviço público, sendo os dados coletados analisados por meio do cálculo de escores, conforme preconizado pela Organização Mundial de Saúde. Verificou-se que a média da qualidade de vida foi de 65,5 sendo o maior escore observado no domínio social (70,1) e o menor no domínio ambiente (57,8), sendo que algumas facetas, como a insatisfação salarial e aspectos associados ao estresse avaliados como críticos.  Concluiu-se, portanto, que a qualidade de vida foi considerada boa pela maioria dos entrevistados, porém novos estudos são necessários para melhor compreender as facetas críticas do estudo e, assim, propor um plano de ações para a gestão pública municipal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Silva, C. S. ., Campos, L. F., & Morais, H. A. . (2022). Qualidade de vida de servidores públicos em um município no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais. Revista Brasileira Multidisciplinar, 25(1), 41-53. https://doi.org/10.25061/2527-2675/ReBraM/2022.v25i1.836
Seção
Artigos Originais
Biografia do Autor

Clayton Samuel Silva, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Mestre em Saúde, Sociedade e Ambiente pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Luciana Freitas Campos, UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI

Possui Bacharelado em Enfermagem pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - EERP-USP (1996), Licenciatura pela EERP-USP (1998), Especialização em Enfermagem do Trabalho pela EERP-USP (2002), Mestrado em Enfermagem Fundamental pela EERP-USP (2004) e Doutorado em Ciências - Enfermagem Fundamental da EERP-USP (2012). Atualmente é Professor Doutor do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), em Diamantina-MG. É líder do Grupo de Pesquisa e Estudos sobre Gerenciamento dos Serviços de Saúde e Enfermagem e do Grupo de Pesquisa e Estudo em Condições Crônicas e Paciente Crítico. É membro do Grupo de Pesquisa LIGGEN Liderança, Gestão e Gerenciamento em Serviços de Saúde e Enfermagem. É consultor Ad hoc em periódicos de enfermagem nacional indexados. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem, atuando principalmente nos seguintes temas: enfermagem, gerenciamento/administração, recursos humanos, educação em saúde e em enfermagem, educação permanente, condição crônica, paciente semi-dependente, dependente e crítico e terapia intensiva.

 

Harriman Aley Morais, UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI

Possui graduação em Medicina Veterinária pela UFMG (1996), mestrado em Ciência de Alimentos pela Faculdade de Farmácia/UFMG (2002) e Doutorado em Ciências da Saúde, pela Faculdade de Medicina/UFMG (2013). É professor da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, desde 2002, lotado no Departamento de Ciências Básicas/FCBS. Ministra as disciplinas de Bioquímica, Biofísica e Bioquímica de Alimentos para diferentes cursos de graduação. No Programa de Pós-graduação em Saúde, Sociedade e Ambiente (mestrado profissional) atua na linha de pesquisa de Tecnologia e Vigilância em Saúde, na área de qualidade de vida e vigilância sanitária. No Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos e de Ciências da Nutrição (mestrado acadêmico) atua principalmente nas área de química e bioquímica de matérias-primas alimentares, controle de qualidade e vigilância sanitária de alimentos e desenvolvimento de novos produtos.

Referências

ABDALA, P. R. Z.; PUELLO-SOCARRÁS, J. F. Reflexiones sobre la administración pública y el neoliberalismo en Nuestramérica, siglo XXI. Revista Eletrônica de Administração, v. 25, n. 2, p. 22–39, maio 2019. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/read/article/view/94991/53590>. Acesso em: 21 out. 2019.

ALMEIDA-BRASIL, C. C. et al. Qualidade de vida e características associadas: aplicação do WHOQOL-BREF no contexto da Atenção Primária à Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 5, p. 1705–1716, maio 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232017002501705&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 22 set. 2019.

ANDRADE, S. M. de; LIMONGI-FRANÇA, A. C.; STEFANO, S. R. Dimensões da qualidade de vida no trabalho e justiça organizacional: um estudo com servidores públicos municipais. Revista Capital Científico - Eletrônica, v. 17, n. 3, 2019. Disponível em: <http://www.gnresearch.org/doi/10.5935/2177-4153.20190021>. Acesso em: 21 out. 2019.

ANDRADE, T. B. de et al. Prevalência de absenteísmo entre trabalhadores do serviço público. Scientia Medica, v. 18, n. 4, p. 166–171, 2008. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/scientiamedica/article/download/3950/7825>. Acesso em: 24 set. 2019.

ANDRADE, V. C. F. et al. Qualidade de vida de servidores técnico-administrativos: um estudo de caso. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, v. 10, n. 1, p. 304–312, 2012. Disponível em: <http://periodicos.unincor.br/index.php/revistaunincor/article/view/382>.

BAASCH, D.; TREVISAN, R. L.; CRUZ, R. M. Perfil epidemiológico dos servidores públicos catarinenses afastados do trabalho por transtornos mentais de 2010 a 2013. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 5, p. 1641–1650, maio 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232017002501641&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 23 set. 2019.

BASTOS, V. G. A.; SARAIVA, P. G. C.; SARAIVA, F. P. Absenteísmo-doença no serviço público municipal da Prefeitura Municipal de Vitória. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v. 14, n. 3, p. 192–201, 2016.

BRASIL. Constituição de República Federativa do Brasil. . 1988.

COSTA, C. S. N. da et al. Capacidade para o trabalho e qualidade de vida de trabalhadores industriais. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, n. 6, p. 1635–1642, jun. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232012000600026&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 20 out. 2019.

DAMASCENO, T. N. F.; ALEXANDRE, J. W. C. A qualidade de vida no trabalho no âmbito do serviço público: conceitos e análises. Revista Científica da Faculdade Darcy Ribeiro, n. 3, p. 39–49, 2012. Disponível em: <http://www.repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/13235/1/2012_art_tnfdamasceno.pdf>. Acesso em: 20 out. 2019.

DANIEL, E.; KOERICH, C. R. C.; LANG, A. O perfil do absenteísmo dos servidores da prefeitura municipal de Curitiba, de 2010 a 2015. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v. 15, n. 2, p. 142–149, 2017. Disponível em: <http://www.rbmt.org.br/details/223/pt-BR/o-perfil-do-absente-iacute-smo-dos-servidores-da-prefeitura-municipal-de-curitiba--de-2010-a-2015>. Acesso em: 24 set. 2019.

FERIGOLLO, J. P.; FEDOSSE, E.; SANTOS, V. A. V. dos. Qualidade de Vida de profissionais de saúde pública. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar, v. 24, n. 3, p. 497–507, 2016. Disponível em: <http://doi.editoracubo.com.br/10.4322/0104-4931.ctoAO0722>. Acesso em: 20 out. 2016.

FREITAS, A. L. P.; SOUZA, R. G. B. de; QUINTELLA, H. L. M. de M. Qualidade de Vida no Trabalho do técnico-administrativo em IES públicas: uma análise exploratória. Revista Brasileira de Qualidade de Vida, v. 5, n. 2, p. 1–12, abr. 2013. Disponível em: <https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/1382>. Acesso em: 29 set. 2019.

GARLET, V.; BEURON, T. A.; SCHERER, F. L. Qualidade de vida no serviço público: uma análise das ações de qualidade de vida no trabalho das instituições federais de ensino superior gaúchas. Estudos do CEPE, n. 45, p. 109, 27 jun. 2017. Disponível em: <https://online.unisc.br/seer/index.php/cepe/article/view/8245>. Acesso em: 20 out. 2019.

GUERRERO, O. Neoliberalismo y neogerencia pública. REAd. Revista Eletrônica de Administração (Porto Alegre), v. 25, n. 2, p. 4–21, maio 2019. Disponível em: <http://www.ghbook.ir/index.php?name=فرهنگ و رسانه های نوین&option=com_dbook&task=readonline&book_id=13650&page=73&chkhashk=ED9C9491B4&Itemid=218&lang=fa&tmpl=component>. Acesso em: 21 out. 2019.

HORA, H. R. M.; MONTEIRO, G. T. Re.; ARICA, J. Confiabilidade em Questionários para Qualidade: Um Estudo com o Coeficiente Alfa de Cronbach [Reliability in Questionnaires for Quality: a study with the Cronbach’s alpha Coefficient]. Produto & Produção, v. 11, n. 2, p. 85–103, 2010. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/index.php/ProdutoProducao/article/viewFile/9321/8252>. Acesso em: 20 set. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/couto-de-magalhaes-de-minas/panorama>. Acesso em: 20 set. 2019.

LEÃO, A. L. de M. et al. Absenteísmo-doença no serviço público municipal de Goiânia. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 18, n. 1, p. 262–277, mar. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2015000100262&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 22 set. 2019.

LELES, L. C.; AMARAL, G. A. Prazer e sofrimento no trabalho de servidores públicos : estudo de caso com técnico-administrativos em educação. Revista Laborativa, v. 7, n. 1, p. 53–73, 2018.

MALAGRIS, L. E. N.; FIORITO, A. C. C. Avaliação do nível de stress de técnicos da área de saúde. Estudos de Psicologia (Campinas), v. 23, n. 4, p. 391–398, dez. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-166X2006000400007&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 22 set. 2019.

MONTENEGRO JUNIOR, C. A. A.; VIEIRA, M. das G. A busca pela eficiência no serviço público, através da lei de acesso à informação e as relações com o aprimoramento da gestão da informação The search for efficiency in public service through Access to Information Act and relations with improvement of. Saber Humano: Revista Científica da Faculdade Antonio Meneghetti, v. 6, n. 8, p. 121, 4 ago. 2016. Disponível em: <http://www.repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/13235/1/2012_art_tnfdamasceno.pdf>. Acesso em: 20 out. 2019.

MORAES, M. C. F.; SILVA, N. P. da. Saúde mental e a relações de trabalho: como a ansiedade influencia o comportamento humano no ambiente de trabalho. Interfaces de Saberes, v. 14, n. 1, p. 1–16, 2015. Disponível em: <https://interfacesdesaberes.fafica-pe.edu.br/index.php/import1/article/view/533/274>. Acesso em: 24 set. 2019.

NUNES, A. V. de L.; LINS, S. L. B. Revista Psicologia : Organizações e Trabalho. [s.l.] Brasília, DF, 2009. v. 9

NUNES, M. de F.; FREIRE, M. do C. M. Qualidade de vida de cirurgiões-dentistas que atuam em um serviço público. Revista de Saúde Pública, v. 40, n. 6, p. 1019–1026, dez. 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102006000700009&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 22 set. 2019.

OTTATI, F.; FREITAS, V. Avaliação da qualidade de vida e a vulnerabilidade no contexto hospitalar. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, v. 4, n. 1, p. 15–29, 2013. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/eip/article/download/14112/13244>. Acesso em: 22 set. 2019.

PEDROSO, B. et al. Cálculo dos escores e estatística descritiva do WHOQOL-bref através do Microsoft Excel. Revista Brasileira de Qualidade de Vida, v. 2, n. 1, p. 31–36, 2010. Disponível em: <https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/687/505>. Acesso em: 20 set. 2019.

PENTEADO, R. Z.; PEREIRA, I. M. T. B. Qualidade de vida e saúde vocal de professores. Revista de Saúde Pública, v. 41, n. 2, p. 236–243, abr. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-89102007000200010&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 22 set. 2019.

PEREIRA, É. F.; TEIXEIRA, C. S.; SANTOS, A. dos. Qualidade de vida: abordagens, conceitos e avaliação. Revista Brasileira de Educação Física e Esportes, v. 26, n. 2, p. 241–250, 2012.

PIETROMONACO, P. R.; COLLINS, N. L. Interpersonal mechanisms linking close relationships to health. American Psychologist, v. 72, n. 6, p. 531–542, set. 2017. Disponível em: <http://doi.apa.org/getdoi.cfm?doi=10.1037/amp0000129>. Acesso em: 24 set. 2019.

PINTO, G. M. C.; PEDROSO, B.; PILATTI, L. A. Qualidade de vida e qualidade de vida no trabalho de servidores públicos do setor administrativo de uma instituição de ensino superior do Paraná. Revista Brasileira de Qualidade de Vida, v. 6, n. 3, p. 174–183, 2014. Disponível em: <https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/2032/1541>. Acesso em: 22 set. 2019.

RIBEIRO, H. K. P. et al. Transtornos de ansiedade como causa de afastamentos laborais. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 44, n. 0, p. 1–8, 7 mar. 2019. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572019000101501&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 24 set. 2019.

RODRIGUES, C. de S. et al. Absenteísmo-doença segundo autorrelato de servidores públicos municipais em Belo Horizonte. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 30, n. sup., p. S135–S154, 2013. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbepop/v30s0/09.pdf>. Acesso em: 22 set. 2019.

SALES, G. P.; FERREIRA, T. F. Aplicação do Questionário “Whoqol-bref” para avaliação da qualidade de vida nos participantes do projeto de promoção em saúde corra pela vida de São Roqe do Canaã/ES. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, v. 5, n. 28, p. 366–374, 2011. Disponível em: <http://www.rbpfex.com.br/index.php/rbpfex/article/view/353/340>. Acesso em: 22 set. 2019.

SANTOS, J. F. dos et al. Relação entre qualidade de vida e capacidade para o trabalho em funcionários do poder judiciário. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v. 16, n. 1, p. 2–9, 2018. Disponível em: <http://www.rbmt.org.br/details/287/pt-BR/relacao-entre-qualidade-de-vida-e-capacidade-para-o-trabalho-em-funcionarios-do-poder-judiciario>. Acesso em: 22 set. 2019.

SANTOS, J. P. dos; MATTOS, A. P. de. Absentismo-doença na prefeitura municipal de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 35, n. 121, p. 148–156, jun. 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572010000100016&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 24 set. 2019.

SILVA-JUNIOR, J. S.; FISCHER, F. M. Afastamento do trabalho por transtornos mentais e estressores psicossociais ocupacionais. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 18, n. 4, p. 735–744, dez. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-790X2015000400735&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 24 set. 2019.

SILVA, C. B. da; RAMIRES, J. C. de L. Regionalização da saúde em Minas Gerais: algumas reflexões críticas. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, v. 6, n. 11, p. 60–79, 2010. Disponível em: <http://www.seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/16971/9360>. Acesso em: 22 out. 2019.

SOUZA, M. A. de; STANCATO, K. Avaliação da qualidade de vida de profissionais de saúde em Campinas. Revista de Administração em Saúde, v. 12, n. 49, p. 154–162, 2010. Disponível em: <http://www.cqh.org.br/portal/pag/anexos/baixar.php?p_ndoc=205&p_nanexo=132>. Acesso em: 22 out. 2019.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. WHOQOL-BREEF: introduction, administration, scoring, and generic version of the assessment. Geneva: WHO, 1996.